Disfunção sexual em mulheres Dependentes de álcool, MACONHA, COCAINA E Crack: dados preliminares

17 de outubro de 20113min

Disfunção sexual em mulheres Dependentes de álcool, MACONHA, COCAINA E Crack: dados preliminares

Alessandra Diehl e Rosiane Lopes da Silva

 BACKGROUND: estudos de base populacional mostram que 5,8% das mulheres sexualmente ativas apresentam a queixa de disfunção sexual recente e 15,5% alguma disfunção sexual ao longo da vida; sendo que o desejo sexual hipoativo é o mais prevalente. Poucos estudos, principalmente brasileiros, têm avaliado esta associação em amostras clínicas de usuárias de álcool, tabaco, maconha, cocaína e crack, onde se acredita que a presença de disfunção sexual seja maior que a população geral.

Objetivos: avaliar a prevalência de disfunção sexual em uma amostra clínica de mulheres dependentes químicas internadas em enfermaria especializada

Métodos: para coleta de dados foi utilizada as escalas Arizona Sex Scale (ASEX), Drug Abuse Screening Test (DAST) e Short Alcohol Dependence Data (SADD) e elaboração de questionário com dados sócio-demográficos.

Resultados: a amostra preliminar é constituída por N= 80 mulheres, com idades variando de 18 a 55 anos, 42% separadas, 53% da raça branca, 34% católicas, 42% totalmente desempregadas, 53% com o ensino fundamental incompleto, 26% com SADD grave e 53% com DAST em nível substancial. A disfunção sexual foi positiva em 38% desta amostra com mais de 19 pontos na escala ASEX.

CONCLUSÕES: os dados preliminares apontam que a prevalência de disfunção sexual em mulheres dependentes químicas é maior que a população geral feminina sugerindo a necessidade de medidas de intervenções específicas para esta população alvo a fim de melhorar qualidade de vida sexual.

 

REFERENCIAS

Burri A, Spector T. Recent and Lifelong Sexual Dysfunction in a Female UK Population Sample: Prevalence and Risk Factors. J Sex Med. 2011 Sep;8(9):2420-30.

Leiblum SR. Tratamento dos Transtornos do desejo Sexual. Casos clínicos. Editora Artmed, Porto Alegre, 2012.

Meston CM; Buss DM. Por que as mulheres fazem sexo. Do amor à compaixão, da aventura à vingança. Editora Cultrix, São Paulo, 2011.


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com