Investigação de genes de vulnerabilidade para abuso de cocaína

23 de novembro de 20132min

Acesse: Cocaina overdose.pdf

Investigação de genes de vulnerabilidade para abuso de cocaína

O abuso/dependência de cocaína é um dos principais problemas contemporâneos de saúde pública. Uma das estratégias mais promissoras de pesquisa neste setor é o reconhecimento de fatores genéticos envolvidos na produção de suscetibilidade ao desenvolvimento de abuso/dependência da droga. Estudos em modelos animais, assim como trabalhos ainda incipientes com populações humanas, mostram como os principais implicados bioquímicos na gênese do fenômeno os sistemas dopaminérgico, serotonérgico e noradrenérgico. O estudo em humanos de associação entre polimorfismos de receptores dopaminérgicos e dependência de cocaína mostram alguns achados positivos, ainda que em caráter preliminar.
Este estudo visa detectar genes de suscetibilidade para o transtorno, através do exame de genes do sistema dopaminérgico e serotonérgico. Como mais recentes estudos vêm sugerindo, a expressão fenotípica destes genes parece ocorrer em interação com fatores do meio ambiente; pretendemos procurar algumas interações de fatores ambientais com os polimorfismos nos sistemas acima apresentados. Com este trabalho, objetivamos contribuir para a detecção de fatores de risco para o transtorno que permitam estratégias de intervenção precoce e aprimoramento de tratamentos.


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter