Uso de álcool entre adolescentes: conceitos,características epidemiológicas e fatores etiopatogênicos

16 de novembro de 20133min

Acesse:Uso de álcool entre adolescentes.pdf

Uso de álcool entre adolescentes: conceitos,características epidemiológicas e fatores etiopatogênicos
Alcohol use among adolescents: concepts,epidemiological characteristics and etiopatogenic factors
Flavio Pechansky, Claudia Maciel Szobot e Sandra Scivoletto

Rev Bras Psiquiatr 2004;26(Supl):15-19 / Álcool entre adolescentes
O uso de álcool entre adolescentes é, naturalmente, um tema controverso no meio social e acadêmico brasileiro. Ao mesmo tempo em que a lei brasileira define como proibida a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos (Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996), é prática comum o consumo de álcool pelos jovens – seja no ambiente domiciliar, em festividades, ou mesmo em ambientes públicos. A sociedade como um todo adota atitudes paradoxais frente ao tema: por um lado, condena o abuso de álcool pelos jovens, mas é tipicamente permissiva ao estímulo do consumo por meio da propaganda.Pinsky e Silva, estudando comerciais de bebidas alcoólicas, demonstraram que a freqüência destes era, em média, maior do que a freqüência de comerciais sobre outros produtos,como bebidas não alcoólicas, medicamentos ou cigarros. Mais ainda, dos cinco temas mais freqüentemente encontrados nos comerciais de bebidas alcoólicas, três deles(como relaxamento, camaradagem e humor) eram diretamente relacionáveis às expectativas dos jovens. Além disso, não havia, à época,qualquer tipo de mensagem consistente quanto ao consumo moderado das bebidas anunciadas.Atualmente, existe um movimento na direção do consumo responsável de álcool, como indica,por exemplo, o website da Companhia Brasileira de Bebidas – AMBEV, com campanhas na mídia associando o consumo de álcool com moderação ou com prevenção de acidentes, ou mesmo de iniciativas do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter