24 de novembro de 2020

Beber e dirigir: Uma avaliação neuropsicológica das funções executivas no uso agudo do álcool

8 de dezembro de 20133min

Acesse: Beber e dirigir uma avaliacao neuropsicologica.pdf

Beber e dirigir: Uma avaliação neuropsicológica das funções executivas no uso agudo do álcool

Simone Cristina Aires Domingues

Vitória – 2009

Funções Executivas são altamente requisitadas na condução de veículos automotivos e são afetadas pelo uso de álcool. Este estudo correlacionou o desempenho das funções executivas, através da Bateria de Avaliação Frontal (FAB), com os níveis de concentração de álcool no sangue(BAC), determinados por bafômetro digital portátil. O estudo foi composto por duas etapas. A primeira etapa foi conduzida com motoristas em ruas da cidade de Vitória (ES), durante as noites e madrugadas. Uma alta porcentagem de motoristas apresentou registro de consumo de álcool (24%), sendo a maioria homens, com idades entre 20 a 30 anos. Os resultados mostraram que o aumento dos níveis de BAC produziu escores significativamente reduzidos na média total da FAB. A segunda etapa consistiu num estudo duplo-cego, com jovens de 20 a 30 anos, de ambos os sexos e escolaridade em nível superior completo ou incompleto. O desempenho das funções executivas foi avaliado em zero, meia, uma e duas doses de álcool. Para avaliar as funções executivas foram usados a FAB, Teste de Stroop, AC e Trail Making. O BAC foi determinado por bafômetro digital portátil. Avaliou-se o nível de expressão de raiva e alterações de humor sob efeito do álcool. Os resultados mostraram que os homens tiveram pior desempenho na média total da FAB, quando os níveis de BAC atingiram aproximadamente 3dg/L, demonstrando que mesmo em baixas doses o álcool produz redução do desempenho de algumas habilidades das funções frontais. Em baixas doses de álcool, não foram identificadas alterações na expressão de raiva ou estados de humor em função da dose ingerida. Evidências mundiais apontam os jovens como mais vulneráveis a acidentes automobilísticos. Como o álcool, mesmo em doses baixas, pode prejudicar as funções executivas e funções executivas são essenciais para a condução de veículos, estratégias preventivas eficazes são necessárias para inibir o uso de álcool em motoristas e devem ser direcionadas principalmente para jovens. A redução dos níveis legais permitidos de BAC pode contribuir na diminuição dos índices alarmantes de acidentes de trânsito e óbitos entre os jovens.


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter