22 de outubro de 2021

A pandemia de bebida alcoólica

13 de julho de 20212min397
beer-caps-and-glasses-of-beer-on-a-pub-background-PWURQM9

Dados indicam aumento da circulação e do consumo de álcool no Brasil no último ano

À medida em que as vacinas vão chegando aos braços dos brasileiros e que passamos a enxergar uma luz no fim do túnel ao isolamento dos últimos meses, é possível começarmos a especular sobre quais serão os legados que a pandemia deixará na saúde física e mental da população brasileira. Mudanças de paradigma como o home office e a valorização da casa são concretas bem como, infelizmente, o aumento de casos de ansiedade e depressão.

Outra vertente que chama a atenção é o aumento significativo de produção e de consumo de bebidas alcoólicas no último ano. Dados do IBGE divulgados no começo de junho afirmam que a produção de bebida alcoólica cresceu 17,6% nos primeiros quatro meses de 2021, em comparação com o mesmo período de 2020, portanto, antes da entrada avassaladora do coronavírus em nossas vidas. Para quem está no front no atendimento aos pacientes, a impressão é que quem já tinha um consumo desequilibrado de álcool antes da pandemia se aproximou da dependência nos últimos meses. Os que já eram dependentes e estavam em abstinência recaíram. Os números dão concretude a essa percepção: de acordo com o Global Drug Survey, publicado este ano, o Brasil ocupa o 10º lugar em número de ocasiões em que as pessoas ficaram alcoolizadas no último ano – acima da média global e bem superior à posição no ranking do ano passado (24º lugar).

Leia mais em: https://vejario.abril.com.br/blog/manual-de-sobrevivencia-no-seculo-21/pandemia-bebida-alcoolica/


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter