24 de novembro de 2022

Cannabis and Psychosis: Recent Epidemiological Findings Continuing the “Causality Debate”

13 de outubro de 20224min16
SITE UNIAD

Suhas Ganesh, M.D., Deepak Cyril D’Souza, M.D.

O uso de cannabis não medicinal (“recreativo”) e as leis de cannabis mudaram nas últimas duas décadas nos Estados Unidos ( 1 ) e no resto do mundo ( 2 ). O aumento do uso, especialmente entre os jovens, juntamente com o aumento da potência da cannabis (maior teor de delta-9-tetrahidrocanabinol [THC]) durante este período ( 3), levantou preocupações sobre o impacto na saúde a longo prazo da exposição à cannabis, especialmente entre adolescentes e adultos jovens. Há o reconhecimento de uma associação entre o uso de cannabis e psicose, mas se a relação é causal continua a ser debatido. Uma refutação levantada neste debate é que se a cannabis causou psicose, então os aumentos nas taxas de uso de cannabis devem ser acompanhados por um aumento paralelo nas taxas de psicose.

O artigo de Livne et al. ( 4 ) nesta edição do Journal é o primeiro relato de uma amostra norte-americana de um aumento na prevalência de transtornos psicóticos autorrelatados. Os autores relatam um aumento de aproximadamente 2,5 vezes na prevalência de psicose autorrelatada ao comparar dados nacionalmente representativos da Pesquisa Epidemiológica Nacional sobre Álcool e Condições Relacionadas (NESARC) realizada em 2001–2002 (NESARC) e em 2012–2013 (NESARC- III) ( 5 ). A questão sobre psicose autorreferida, diferentemente daquelas sobre sintomas autorrelatadosde psicose, pergunta aos entrevistados se eles foram diagnosticados com esquizofrenia ou um transtorno psicótico relacionado por um médico ou outro profissional de saúde. Os autores abordaram a dose-resposta examinando a relação entre medidas substitutas de dose (frequência de uso de cannabis: qualquer uso, uso frequente, uso diário e transtorno por uso de cannabis) e psicose autorrelatada no NESARC e NESARC-III e qualquer alteração no magnitude da relação entre as duas pesquisas. Eles observaram que, em comparação com os não usuários, aqueles com qualquer uso e com transtorno por uso de cannabis estavam em maior risco de psicose autorrelatada durante o NESARC. Em comparação com o NESARC, os participantes da pesquisa em todas as quatro categorias de uso estavam em maior risco de psicose autorrelatada durante o NESARC-III.

Leia mais em: https://doi.org/10.1176/appi.ajp.2021.21111126


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


    Skip to content