28 de setembro de 2020

Efeitos cardiovasculares decorrentes da administração crônica de testosterona e cocaína em ratos.

22 de janeiro de 20119min

Linha de fomento: Auxílio a Projeto de Pesquisa – Regular

  • Coordenador: Carlos Cesar Crestani
  • Instituição: Fac Ciencias Farmaceuticas Araraquara/Unesp
  • Pesquisadores principais: Carlos Cesar Crestani
  • Processo: 10/16192-8
  • Início: 01 jan. 2011
  • Término: 31 dez. 2012
  • Área do conhecimento: Ciências biológicas – Farmacologia
  • Resumo: Estudos têm apontado um crescimento no abuso de cocaína e esteróides androgênicos anabólicos (EAA). Além disso, o abuso de EAA está freqüentemente associado ao uso de cocaína. Existem evidências na literatura sugerindo que o uso crônico de cocaína e EAA está relacionado com diversas patologias cardiovasculares, incluindo hipertensão e patologias cardíacas. Apesar da relevância do tema, os mecanismos relacionados com as patologias cardiovasculares associados com o uso crônico de cocaína e EAA, especialmente do uso simultâneo destas drogas, ainda são pouco compreendidos. Não existem relatos do efeito do tratamento crônico com cocaína, testosterona ou da co-administração destas drogas sobre a atividade do baroreflexo. Estudos têm sugerido que redução na atividade do baroreflexo pode ser um mecanismo importante relacionado com a hipertensão, além de ser um fator de risco para o desenvolvimento de arritmias e morte súbita em diversas patologias cardiovasculares. Apesar de alguns estudos in vitro relatarem comprometimento na reatividade vascular a agentes vasoativos após exposição crônica a cocaína ou EAA, não existem estudos in vivo relatando o efeito da administração crônica destas drogas sobre a reatividade vascular. Comprometimento na resposta vascular é um indicador e um marcador de aterosclerose e de alterações na ação vascular de agentes vasodilatadores e vasoconstritores, e tem sido proposto como um dos mecanismos no desenvolvimento da hipertensão. Alguns estudos têm sugerido que a exposição crônica à cocaína altera as respostas cardiovasculares e neuroendócrinas ao estresse. Entretanto, não existem evidências na literatura relatando o efeito da administração de testosterona ou da co-administração de testosterona e cocaína sobre as respostas autonômicas e neuroendócrinas ao estresse. Por fim, estudos têm relatado que a administração crônica de cocaína ou testosterona desencadeia alterações funcionais importantes em estruturas do sistema nervoso central (SNC) envolvidas no controle da atividade cardiovascular. Alguns estudos da literatura têm sugerido que o núcleo leito da estria terminal (NLET) parece ser uma das principais regiões no SNC a apresentar alterações após a administração crônica de cocaína.Diante disso, o presente projeto testará a hipótese de que a administração repetida de testosterona e/ou cocaína desencadeia alterações nos parâmetros basais de pressão arterial (PA) e freqüência cardíaca (FC), na atividade do barorreflexo, na reatividade vascular e nas respostas autonômicas e neuroendócrinas ao estresse em ratos. Além disso, investigaremos se os efeitos cardiovasculares decorrente da administração repetida destas drogas estão associados à alteração no controle da atividade do barorreflexo e das respostas autonômicas e neuroendócrinas ao estresse exercido pelo NLET de ratos. Para tanto, nós investigaremos o efeito da administração repetida de testosterona e/ou cocaína sobre os valores basais de PA média, PA sistólica, PA diastólica e FC; a atividade do barorreflexo; a reatividade vascular a agentes vasoconstritor e vasodilatador e as respostas autonômicas e neuroendócrinas ao estresse por restrição agudo. Nós também estudaremos o efeito destes tratamentos sobre o controle da atividade do barorreflexo e das respostas autonômicas e neuroendócrinas ao estresse por restrição agudo exercido pelo NLET de ratos. (AU)
  • Abstract: Several studies have shown an increase in use of cocaine and anabolic-androgenic steroids (AAS). Moreover, use of AAS is associated with consumption of cocaine. There are some evidences in the literature suggesting that use of AAS and cocaine is associated with a variety of cardiovascular diseases, including: hypertension and cardiac diseases. Although relevance of this issue, mechanisms involved in cardiovascular diseases associated with chronic use of AAS and cocaine, especially simultaneous consumption of these drugs, are still poorly understood.There are no reports in the literature of the effects of chronic treatment with cocaine, testosterone or simultaneous administration of these drugs in the baroreflex activity. Studies have suggested that decreased baroreflex activity is an important mechanism involved in hypertension, and is a risk factor for the development of cardiac arrhythmia and sudden death in several cardiovascular diseases. Although some in vitro studies to report impaired vascular responses to vasoactive substances after chronic administration of cocaine or AAS, there are no in vivo studies reporting effect of chronic administration of these drugs in vascular reactivity. An impaired vascular response is a precursor and a marker of atherosclerotic disease and changes in the action of vasodilator and vasoconstrictor agents, and has been proposed as a mechanism involved in development of hypertension. Some studies have suggested that chronic use of cocaine change stress-evoked cardiovascular and neuroendocrine responses. However, effect of administration of testosterone or simultaneous administration of testosterone and cocaine in autonomic and neuroendocrine responses to stress has never been reported. Finally, it has been demonstrated that chronic administration of cocaine or testosterone evokes functional changes in central nervous system (CNS) structures involved in cardiovascular control. Some studies have suggested that the bed nucleus of the stria terminalis (BST) is one of the main regions in the CNS to show changes after cocaine chronic exposure. Thus, the present study will test the hypothesis that repeated administration of testosterone and/or cocaine evokes changes on arterial pressure (AP) and heart rate (HR) baseline, baroreflex activity, vascular reactivity and stress-evoked autonomic and neuroendocrine responses in rats. Moreover, we will investigate if cardiovascular changes resulting from chronic treatment with these drugs are associated with alterations in control of baroreflex activity and stress-evoked autonomic and neuroendocrine responses by the bed nucleus of the stria terminalis. For this, we will investigate the effect of repeated administration of testosterone and/or cocaine in the basal values of mean, systolic, diastolic AP and HR; baroreflex activity; vascular reactivity to vasodilator and vasoconstrictor agents and autonomic and neuroendocrine responses to acute restraint stress. We will also study the effect of these treatments in control of baroreflex activity and restraint stress-evoked autonomic and neuroendocrine responses by BNST of rats. (AU)
  • FAPESP

Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter