30 de setembro de 2020

Uso de álcool como causa necessária de morte no Brasil, 2010 a 2012

10 de fevereiro de 20167min

Rev Panam Salud Publica vol.38 n.5 Washington Nov. 2015

acesse: http://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1020-49892015001000010&script=sci_arttext

INVESTIGACIÓN ORIGINAL ORIGINAL RESEARCH

Uso de álcool como causa necessária de morte no Brasil, 2010 a 2012

Alcohol use as a necessary cause of death in Brazil, 2010-2012

Leila Posenato GarciaI; Lucia Rolim Santana FreitasII; Vilma Pinheiro GawryszewskiIII; Elisabeth Carmen DuarteIV

IInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Brasília (DF), Brasil. Correspondência: leila.garcia@ipea.gov.br
IIUniversidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Brasília (DF), Brasil
IIIPan American Health Organization, Health Analysis and Information Unit, Communicable Diseases and Health Analysis Department, Washington D.C., United States of America
IVUniversidade de Brasília, Departamento de Medicina Social, Brasília (DF), Brasil


RESUMO

OBJETIVO: Descrever a mortalidade por doenças, condições e lesões para as quais o consumo de álcool é causa necessária durante o triênio de 2010 a 2012 no Brasil.
MÉTODOS: Foi realizado um estudo descritivo com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde do Brasil. Foram considerados os óbitos cujas causas básicas foram classificadas em qualquer um dos 78 códigosda Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10) correspondentes às doenças, condições e lesões para as quais o uso de álcool é causa necessária.
RESULTADOS: Foram registrados 55 380 óbitos pelas causas consideradas, sendo 88,5% de homens. A taxa de mortalidade bruta (TMB) no triênio foi de 9,6 por 100 000 habitantes na população geral, 17,35 por 100 000 homens para o sexo masculino e 2,15 por 100 000 mulheres para o sexo feminino. TMB mais elevadas foram observadas nos grupos de 50 a 59 (28,45) e de 60 a 69 (27,23) anos de idade e em pessoas de cor da pele preta ou parda (10,15). As regiões Nordeste (11,70) e Centro-Oeste (11,04) exibiram as taxas de mortalidade ajustadas mais elevadas. As doenças do fígado foram as principais causas de morte (55,3%).
CONCLUSÕES: A mortalidade por causas associadas ao consumo de álcool é elevada no Brasil, especialmente entre os homens, na faixa etária de 50 a 69 anos e nos residentes das regiões Nordeste e Centro-Oeste.

Palavras-chave: Consumo de bebidas alcoólicas; transtornos relacionados ao uso de álcool; transtornos induzidos por álcool; mortalidade; epidemiologia descritiva; Brasil.


ABSTRACT

OBJECTIVE: To describe mortality from diseases, conditions, and injuries for which alcohol consumption is a necessary cause during the 2010-2012 triennium in Brazil.
METHODS: A descriptive study was conducted with data from the Brazilian Ministry of Health’s Mortality Information System (SIM). The analysis included deaths whose primary cause was classified as any of the 78 codes of the International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems (ICD-10) corresponding to the diseases, conditions, and injuries for which the use of alcohol is a necessary cause.
RESULTS: Deaths with alcohol consumption as a necessary cause totaled 55 380 (88.5% in men). The crude mortality rate for the triennium was 9.6/100 000 people in the overall population, 17.35/100 000 men in males, and 2.15/100 000 women in females. Higher mortality rates were observed in the 50-59 year (28.45) and 60-69 year (27.23) age groups and among people with black or brown skin color (10.15). The Northeast (11.70) and Midwest (11.04) regions exhibited higher age-adjusted mortality rates. Liver diseases were the leading cause of death (55.3%).
CONCLUSIONS: Mortality from causes related to alcohol consumption is high in Brazil, especially among men, people aged 50-69 years, and residents in the Northeast and Midwest regions.

Key words: Alcohol drinking; alcohol-related disorders; alcohol-induced disorders; alcoholism; mortality; epidemiology, descriptive; Brazil.


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter