Perfis de consumo alcoólico entre pacientes da atenção primária à saúde e seu reconhecimento pelos profissionais de saúde

13 de março de 20142min

Maíra Lemos de Castro Taufick 1 Lays Aparecida Evangelista 2 Michelle da Silva 3

Luiz Carlos Marques de Oliveira  

 Neste estudo transversal verificaram-se os perfis de consumo alcoólico entre pacientes das Equi- pes de Saúde da Família (ESF) em uma cidade do sudeste brasileiro, e o reconhecimento deste consumopelosprofissionaisdasESF.Avaliaram- se 932 pacientes adultos entre novembro de 2010 e novembro de 2011. Entre todos, 17,5% faziam consumo de risco (AUDIT ≥ 8), que foi mais fre- quente em homens, entre as pessoas mais jovens e aqueles sem doenças crônicas. O questionário CAGE foi positivo em 98 (10,5%) pacientes, sen- do mais frequente em homens. Homens, pessoas com idades ≥ 55 anos, com doenças crônicas ou com consumo alcoólico mais grave foram mais frequentemente questionadas sobre o uso do ál- cool (438/932; 47,8%). Homens, pessoas de 35 a 54 anos ou com consumo alcoólico mais grave foram mais frequentemente reconhecidos como alcoolistas (22/175; 12,6%). Conclui-se que o consumo do álcool é frequente entre os pacientes atendidos pelas ESF, é pouco reconhecido pelos profissionais e a minoria dos alcoolistas é orien- tada quanto aos seus riscos. 

 

Acesse: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30n2/0102-311X-csp-30-2-0427.pdf

 


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com