A FENOMENOLOGIA DA VIVÊNCIA DO SUJEITO ALCOOLISTA

21 de julho de 20132min

Carolina Bogado Manhães

Isabel Clímaco Mattos

Marisete Malaguth Mendonça

Este trabalho teve como objetivo descrever a vivência do sujeito alcoolista e as implicações da adição na sua vida. O interesse em tal assunto surgiu a partir de atendimentos realizados pelas autoras a pessoas alcoolistas. Esse estudo torna-se relevante, pois possibilita uma contribuição para a compreensão destas pessoas que buscam o tratamento psicoterápico, seja nos consultórios particulares ou em serviços ambulatoriais. Para a confecção desse trabalho, inicialmente realizou-se uma pesquisa bibliográfica acerca do tema, um levantamento histórico acerca do uso do álcool e dados estatísticos sobre a sua utilização. Procurou-se definir também alguns conceitos básicos relacionados ao seu uso. Posteriormente, foi feita uma revisão bibliográfica sobre o método fenomenológico, método escolhido para se pesquisar o assunto. Foram realizadas entrevistas com três participantes que possuem experiência de alcoolismo. Tais entrevistas foram gravadas, transcritas e analisadas de acordo com o método fenomenológico de Amedeo Giorgi. Foram selecionadas unidades de sentido comuns aos três participantes no que diz respeito à influência de modelos adultos no comportamento de iniciar a beber, prejuízos profissionais, comprometimento no relacionamento conjugal e no exercício da paternidade, resgate da auto-estima e qualidade de vida durante os períodos de abstinência.

 

acesse: http://itgt.com.br/wp-content/uploads/2013/07/TCC_Isabel-Cl%C3%ADmaco-Mattos-e-Carolina-Bogado-Manh%C3%A3es.pdf


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter