25 de novembro de 2020

Criadas para burlar a fiscalização, novas drogas sintéticas não têm tratamento padronizado entre médicos

6 de novembro de 20201min

A proliferação de novas drogas sintéticas no Brasil, desenvolvidas com misturas de diferentes substâncias psicoativas para evitar a fiscalização, deixa os profissionais da área da saúde em alerta. Menos estudadas que as drogas tradicionais e com efeitos até cem vezes mais potentes, essas combinações sintéticas podem causar complicações no quadro clínico dos usuários mesmo em doses pequenas.

Por serem desconhecidas, não há protocolo médico para tratar esses quadros. Os sintomas dos usuários geralmente incluem agitação, sudorese profusa, taquicardia, pupila dilatada, aumento da temperatura e pressão elevada embora muitos sejam jovens, e o tratamento é guiado a partir do que cada um apresenta.

Veja mais em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/11/criadas-para-burlar-a-fiscalizacao-novas-drogas-sinteticas-nao-tem-tratamento-padronizado-entre-medicos.shtml


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter