29 de setembro de 2020

Rachel Sheherazade sobre juiz defensor da legalização da maconha

15 de junho de 20162min

SPVOTCOR

Data Venia, mas é surreal esta sentença. Ou poderíamos chamá-la de: “salvo conduto de traficante”? Em vez de fundamentar sua decisão no Direito brasileiro, o doutor juíz absolveu o criminoso, baseado em leis americanas, que descriminalizaram a venda de maconha. Mas, este não é o caso do Brasil, excelência: aqui, ainda é crime plantar, guardar, transportar e vender drogas., sejam elas recreativas, medicinais ou de menor poder ofensivo.

E não interessa se na opinião do julgador, a criminalização da maconha é atrasada ou equivocada: lei é lei, tem que ser cumprida, aplicada, obedecida. E o juiz, deve ser o primeiro a se curvar diante dela. Além do mais, o judiciário não é o foro certo para levantar e defender bandeiras como a legalização.

Quer legislar, meritíssimo? Deixe a toga, eleja-se deputado, e aí sim, TENTE mudar as leis.

{youtube}/crMivdB1oMA{/youtube}


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter