29 de setembro de 2020

Prevenção ao uso de drogas passa pela socialização de crianças e adolescentes, diz UNODC

1 de junho de 20165min

ONUBR – Nações Unidas no Brasil

Evidências apontam para a importância da relação entre a prevenção e o processo de socialização de crianças e adolescentes, segundo oficial do UNODC. Foto: Senado/Marcello Casal Jr.

As estratégias de prevenção ao uso de drogas precisam extrapolar o campo da informação, passando principalmente pelo processo de socialização de crianças e adolescentes, disse a oficial de programa da unidade de saúde do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) no Brasil, Nara Santos, no início de maio durante evento em Cuiabá (MT).

As estratégias de prevenção ao uso de drogas precisam extrapolar o campo da informação, passando principalmente pelo processo de socialização de crianças e adolescentes, disse a oficial de programa da unidade de saúde do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) no Brasil, Nara Santos, no início de maio durante evento em Cuiabá (MT).

Em sua apresentação sobre diretrizes internacionais, Nara destacou que a ciência teve importantes avanços nos últimos 20 anos, permitindo identificar com base em evidências que as estratégias de prevenção ao uso de drogas precisam extrapolar o campo da informação.

“As evidências apontam para a importância da relação entre a prevenção e o processo de socialização de crianças e adolescentes”, disse Nara citando a publicação “Diretrizes Internacionais sobre a Prevenção do Uso de Drogas” do UNODC. Segundo ela, para cada dólar gasto em prevenção, pelo menos dez podem ser economizados em custos futuros com saúde, programas sociais e crime.

As declarações foram feitas durante fórum organizado pelo governo do estado do Mato Grosso entre os dias 11 e 13 de maio. No evento, foi lançado o “Plano Estadual de Assessoramento em Políticas sobre Drogas — Ações 2016”, elaborado pela Superintendência de Políticas sobre Drogas da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado (SEJUDH).

Experiências brasileiras

Durante o evento, foram apresentadas diversas experiências de prevenção ao uso de drogas adotadas em diferentes estados brasileiros.

A coordenadora de prevenção da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) do Ministério da Justiça, Ana Ferraz, apresentou os programas Jogo Elos, #Tamojunto e Famílias Fortes, que estão sendo implementados desde 2014 em vários estados pela própria secretaria e pela Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde.

“Há hoje disponíveis três programas de prevenção adaptados para a realidade brasileira e estudados e avaliados quanto à sua adequação, aceitabilidade e satisfação”, disse Ana. “Os programas são interativos e utilizam ferramentas inovadoras que motivam tanto os participantes quanto os multiplicadores, permitindo uma reflexão sobre o modo de convivência em espaços coletivos”, declarou.

O superintendente de Políticas sobre Drogas da SEJUDH, Paulo Santana Júnior, tratou do problema mundial das drogas e apresentou estratégias e metodologias para prevenção ao uso precoce e abusivo de álcool e outras drogas.

“Dezessete municípios que têm apresentado índices significativos de violências e presença de drogas terão prioridade na implementação das ações do plano em 2016”, disse o superintendente. Segundo ele, a proposta será estendida aos demais municípios em 2017 e 2018.

O público do evento foi composto por profissionais e gestores das áreas de educação, assistência social e saúde do Estado do Mato Grosso.

 
 

Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter