27 de novembro de 2020

Dr. Quirino: Vamos intensificar as políticas públicas sobre drogas em 2020

20 de dezembro de 20198min

O ano de 2019 foi simplesmente histórico para toda a sociedade brasileira, sobretudo para aqueles mais ligados ao flagelo das drogas e da dependência química. Uma vez que o governo federal alinhou suas políticas públicas voltadas à redução de oferta e também da demanda de entorpecentes legais e ilegais no Brasil.

Somente na área de cuidados, o governo federal, por meio da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (SENAPRED) do Ministério da Cidadania, firmou convênios com diversas entidades e reconheceu as Comunidades Terapêuticas como protagonistas no tratamento e reinserção social de dependentes químicos.

Neste sentido, as antes esquecidas CTs tiveram a sua cartilha de emendas parlamentares atualizadas, viram o número de vagas financiadas pela União passarem de 2.900 para 11.000, passaram a contar com recursos públicos para melhorarem a sua infraestrutura, sem contar com ações de fiscalização e capacitação, a fim de garantir um acolhimento mais digno aos dependentes acolhidos.

Entretanto, não foram somente as CTs a serem beneficiadas por este novo momento da política nacional sobre drogas, os grupos anônimos, de ajuda mútua e de apoio familiar também passaram a contar com o apoio da SENAPRED. Para o Dr. Quirino, chefe da mencionada secretária, tais medidas são fruto da ideia de que “não basta só nós pensarmos no processo de acolhimento do individuo, nós precisamos pensar também depois do acolhimento”.

Com tais apoios, sobretudo as CTs, o governo federal foi muito criticado, porque estava destinando recursos para as entidades do terceiro setor. No entanto, a SENAPRED – seguindo determinações do presidente Bolsonaro – se organizou para evitar abusos e malversação do dinheiro a elas destinado por meio de fiscalizações in-loco. “Ela tem o objetivo de punir eventuais falhas, mas também atuam no processo educativo para que as Comunidades Terapêuticas, contribuindo com a sua melhoria. Nossa ideia é ajudar a entidade a superar algum problema detectado, porque o que queremos é ofertar uma melhor qualidade de tratamento para os acolhidos”, observa o secretário.

O que esperar para 2020?

Diante de tantas ações, para responder a seguinte pergunta, Quirino Cordeiro elencou uma série de medidas que serão adotadas no ano vindouro em todos os três eixos de atuação da SENAPRED (Prevenção, Cuidados e Reinserção Social). Porém, antes disso, ele garantiu a potencialização das ações já desenvolvidas em 2019 junto as CTs, Proerd, grupos anônimos, de mútua ajuda e apoio familiar, por exemplo. “Nós vamos intensificar essas ações em 2020, de modo que esperamos ter um ano ainda melhor para desenvolver as frentes para enfrentarmos os graves problemas relacionados às drogas que enfrentamos no Brasil”, destacou.

Por isso, na área de prevenção, a ideia da secretaria é ampliar a Campanha Nacional de Prevenção às Drogas, que é voltada aos jovens; potencializar as ações do Proerd nas escolas com melhores materiais; e executar o ERA, que é um programa voltado à prevenção do uso de álcool, tabaco e outras drogas junto as gestantes, lactantes e mães de criança em primeira infância. “Também vamos implantar nos municípios que fazem parte do Programa Em Frente Brasil o programa islandês de prevenção de álcool e drogas, que vai ser uma novidade. Nós vamos fazer duas pesquisas epidemiológicas para saber o uso de álcool e drogas. Uma pesquisa é a epidemiologia do esgoto, onde vamos estudar quais tipos e em que quantidades estão sendo consumidas as drogas. Nós vamos medir os metabólicos das drogas nos esgotos de todo o país. Nós também vamos fazer a terceira edição no LENAD – Levantamento Nacional Sobre Drogas, em parceria com a UNIFESP. Com isso, queremos saber a percentagem e prevalência do uso de drogas e da dependência química no país”, completou o secretário.

Na área dos Cuidados, Quirino destacou que o foco para 2020 será atingir o quantitativo de 20 mil vagas financiadas pelo governo federal em Comunidades Terapêuticas, além de ampliar e estreitar a parceria com os grupos de mútua ajuda, de apoio familiar e também os anônimos NA-Anon, AL-Anon e AA. “Nós fizemos um ato de reconhecimento dos grupos anônimos no Brasil e agora iremos trabalhar para que possamos apoia-los e ajudar a sua expansão”, justificou.

Já no campo da Reinserção Social, Quirino afirmou que a SENAPRED pretende potencializar a execução de dois convênios firmados em prol da capacitação e profissionalização das CTs, firmados com a Confederação Nacional de Comunidades Terapêuticas (Confenact). A ideia nestes casos é trabalhar os programas Progredir e Brasil Mais Empreendedor, que são iniciativas voltadas aos dependentes químicos acolhidos nas CTs. “Já começamos em 2019 e em 2020 queremos potencializar essas ações e a nossa ideia é ampliar todo o processo de capacitação com cursos, encontros e congressos. Nós queremos capacitar os nossos colegas das comunidades terapêuticas para oferecer uma melhor abordagem terapêutica as pessoas que sofrem com a dependência química”, finalizou.

Por Sérgio Botêlho Júnior

Fonte: Site Imagine Acredite – https://www.imagineacredite.com.br/post/dr-quirino-vamos-intensificar-as-pol%C3%ADticas-p%C3%BAblicas-sobre-drogas-em-2020


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter