O Brasil deveria legalizar o consumo de maconha e outras drogas leves? NÃO

6 de abril de 20241min160
justica-martelo-jpg

No artigo para a Folha de S. Paulo, o psiquiatra Dr. Ronaldo Laranjeira contesta a ideia de que a legalização das drogas, incluindo a maconha, traria benefícios sociais. Ele destaca exemplos dos Estados Unidos, onde a legalização não conseguiu conter o aumento do uso e do comércio ilegal de drogas, resultando em consequências sociais e de saúde negativas. Laranjeira enfatiza os danos à saúde causados pelo uso crônico da maconha, especialmente quando iniciado na adolescência, incluindo comprometimentos neuropsicológicos, riscos aumentados de depressão e até episódios de psicose aguda. Ele também alerta para os perigos cardiovasculares associados ao consumo de maconha. Embora reconheça que no Brasil o usuário de maconha não é mais criminalizado desde 2006, Laranjeira argumenta contra uma maior flexibilização das leis, argumentando que isso poderia agravar problemas como a criminalidade e a dependência química no país.

Veja mais no link: https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2024/04/o-brasil-deveria-legalizar-o-consumo-de-maconha-e-outras-drogas-leves-nao.shtml


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


    Skip to content