Estudo indica que a ingestão de Brownies e outros “comestíveis” de maconha pode ser mais potente e potencialmente mais perigosa que fumar a erva ou vaporizá-la.

9 de abril de 20192min

Pessoas que ingeriram comestíveis de maconha e estiveram no pronto-socorro na área metropolitana de Denver foram analisadas, a dra. Nora D. Volkow, diretora do Instituto Nacional de Abuso de Drogas dos Institutos Nacionais de Saúde acompanhou o estudo e foi constatado que a ingestão da droga é potencialmente mais perigosa do que outras vias.

Os doces “parecem inocentes e seguros, daí você come outro e outro, e a maconha está sendo absorvida. E então você começa a se sentir horrível, antes da absorção completa, e isso pode levar a um episódio psicótico”. No estudo observou-se que “o conteúdo em seu sangue vai ser muito maior se a maconha estiver no chocolate ou em um brownie, em vez de em uma bala de goma”.

Acompanhe a matéria em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/noticia/2019/04/a-maconha-comestivel-pode-apresentar-riscos-cju8kr8v7001x01o1moz8odwu.html

 


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com