29 de setembro de 2020

ABP apoia Nota de Esclarecimento do CFM acerca da descriminalização da cannabis

8 de novembro de 20164min

ABP – Associação Brasileira de Psiquiatria

A Associação Brasileira de Psiquiatria vem a público se manifestar novamente acerca das discussões da política antidrogas no Brasil.

Em nota oficial divulgada no último dia 31 de outubro, o Conselho Regional de Medicina no Estado de São Paulo (Cremesp) defendeu a descriminalização do porte de cannabis para uso pessoal. Segundo informações da Agência Brasil de Comunicação, “a defesa da descriminalização veio a publico um dia após a Câmara Técnica de Psiquiatria do Cremesp discutir os dez anos de vigência da Lei 11.343, a chamada Lei de Drogas, e as possíveis consequências do uso e do porte dessas substâncias”.

Diante do ocorrido, a ABP se vê na obrigação social de reiterar a nota oficial emitida em setembro de 2015, como apoio do Conselho Federal de Medicina – CFM, Associação Médica Brasileira – AMB, Federação Nacional dos Médicos – FENAM  e demais entidades da categoria (listadas na assinatura da nota oficial, que pode ser conferida abaixo).

No referido documento, as instituições afirmam que “a não criminalização do uso, levaria à percepção social de que está liberado o consumo drogas, hoje ilícitas, o que facilitaria sua circulação e o aumento desse consumo principalmente entre os jovens. Na prática iria ser possível andar com drogas em qualquer ambiente, sem risco de qualquer punição. Isso reforçaria muito a multiplicação dos usuários”.

“Paradoxalmente seria permitido o consumo, mas proibida a venda. O aumento do consumo levaria ao aumento da oferta, que seria feita justamente pelos traficantes. Além de aumentar o número de usuários e dos dependentes químicos das drogas, iria se fortalecer, e muito, o tráfico clandestino”, defendem as entidades médicas.

Desta forma, a ABP manifesta-se contrária à nota veiculada pelo Cremesp, colocando-se em consonância com o Conselho Federal de Medicina e a nota emitida em 02 de novembro, que esclarece o posicionamento da instituição.

Leia aqui a nota oficial de agosto de 2015, assinada por diversas entidades da categoria médica.

Clique aqui e leia também a Nota de Esclarecimento do CFM à sociedade, emitida em 02 de novembro de 2016.

 

 

 
 

Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter