24 de novembro de 2022

Homenagem ao Dr. Ronaldo Laranjeira – 40 anos de dedicação à medicina

23 de novembro de 202213min76
40 anos

*Por Adriana Moraes

Uma história repleta de sucesso e dedicação!

Neste ano, o psiquiatra Dr. Ronaldo Laranjeira, um dos maiores especialistas em dependência química do Brasil, completa 40 anos de carreira dedicados à área da saúde mental. Com uma extensa trajetória profissional, consolidada e admirável, Dr. Ronaldo tornou-se um excelente médico e, sobretudo, um grande ser humano!

É muito gratificante homenagearmos o Dr. Ronaldo, convidei alguns profissionais para comemorarmos esse momento importante!

Dr. Laranjeira, Saúde e Jurídico unidos para parabenizá-lo:

Dr. Mário Sérgio Sobrinho – Membro do Ministério Público do Estado de São Paulo e Apoiador da Justiça Terapêutica

Cumprimento e parabenizo o Doutor Ronaldo Laranjeira pela excelência dos trabalhos, estudos e pesquisas na área do álcool e outras drogas, cuja ação como médico ajuda muitas pessoas enquanto suas pesquisas e textos científicos, individuais e coletivos, são disponíveis à sociedade. Desejo ao Doutor Ronaldo Laranjeira, ao completar 40 anos de profissão, muita saúde, paz e perseverança para prosseguir cuidando e estudando sobre prevenção, tratamento e recuperação para abuso de álcool e outras drogas.

Dr. Rafael Bernardon – Médico psiquiatra

Admiração. Esta é a primeira palavra que me vem à mente quando penso no Prof. Ronaldo. Uma refinada inteligência, um grande conhecimento na área de dependência, mas não limitada à ela. Um psiquiatra completo, sensível, ético e diligente. Um hábil gestor. Um trabalho de amplo alcance, seja na ciência, seja na gestão de serviços de saúde. Grande inspiração para os médicos mais jovens, incluindo a minha pessoa. Quarenta anos de profissão são 40 anos de serviços prestados à sociedade, de cuidados às pessoas. Sinto-me bastante honrado com a oportunidade de ter trabalhado ao seu lado na SPDM, e de ter pensado e desenvolvido projetos relevantes para a saúde mental da população brasileira. Parabéns pela invejável trajetória, e que siga muitos anos ainda fazendo o bem à saúde da nossa população!

Dr. Elson Asevedo – Médico psiquiatra

O professor Ronaldo é uma das grandes referências na minha formação.  Com uma visão técnica extremamente apurada e também um olhar para a saúde pública e as ações de prevenção em larga escala que podem fazer a diferença na vida de milhões de pessoas. Não por acaso o prof. Ronaldo recebeu a primeira edição do prêmio ISAJE Griffith Edwards, concedido pela International Society of Addiction Journal Editors (ISAJE), pela sua atuação brilhante na área. Tive o prazer de aprender com ele em diversos contextos. Como professor na residência em Psiquiatria da UNIFESP, na especialização em Dependência Química, como supervisor me ajudando com situações clínicas complexas no consultório e também como chefe na SPDM. Há cerca de 9 anos o prof. Ronaldo convidou-me para coordenar a Unidade Recomeço Helvétia. E tive a honra de participar de um projeto robusto para o enfrentamento da epidemia de uso de crack no estado de São Paulo. Trabalhando de perto, pude admirar ainda mais a capacidade do prof. Ronaldo de transformar conhecimento científico em ações práticas de saúde pública. Parabéns pelos 40 anos de carreira, professor! Sua atuação é um marco para a saúde mental brasileira.

Dr. Cláudio Jerônimo – Médico psiquiatra

Não é nenhum exagero da minha parte, dizer que o professor Ronaldo Laranjeira é daqueles orientadores que se tornam amigos e irmão da vida toda. Foi essa a minha trajetória com ele. Sua generosidade em me receber na UNIFESP, vindo da UNESP de Botucatu, recém-formado, com pouca familiaridade com os computadores e arranhando no Inglês, fez toda diferença na minha carreira. Sem muita consciência eu tive a sabedoria de seguir minha intuição abraçando com dedicação todos os projetos a mim confiados.

Cheguei na UNIAD, UNIFESP um menino e cinco anos depois saí Professor Doutor, e por muitos anos depois me dediquei como professor Afiliado do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP até o ano de 2018, mas que até hoje contribuo como voluntário em alguns projetos e na área de ensinos. Cheguei tímido com certo medo e insegurança sem a consciência clara ainda que entrava para um time que revolucionaria a área de Dependência Química no Brasil, liderado por um professor de visão estratégica, de muitas ideias à frente de seu tempo, cujos valores centrados nas evidências científicas, na valorização do potencial humano, na generosidade e honestidade acadêmicas logo me identifiquei. Mais tarde pude ver esses mesmos valores no homem que se tornou meu amigo de 24 anos um irmão da vida toda e em períodos difíceis de minha vida pessoal pude contar com sua generosidade.

Foram muitos projetos juntos, desde o trabalho voluntário no jardim Ângela que íamos aos sábados e no fundo de uma paróquia da periferia, praticávamos a solidariedade ao mesmo tempo que criávamos o embrião do que mais tarde seria um CAPS (que à época chamamos de Unidade Comunitária de Álcool e Drogas), que nada mais era do prestar assistência médica e psicossocial com um time de pós-graduandos de todas as áreas da saúde mental numa visão integrada e humana do paciente. Sem saber que era esse o nome, ainda praticamos ali com ajuda do Padre Jaime assistência centrada no paciente e de forma humanizada.

Dois anos depois eu já lecionava no primeiro Curso de especialização em Dependência do Brasil e um ano depois tive a chance de sob sua supervisão montar o primeiro Curso on line de especialização em Dependência Química reconhecido pelo MEC no Brasil em uma parceria do departamento de Psiquiatria e Departamento de Informática em Saúde da UNIFESP. Tudo no nosso grupo era “o primeiro” no Brasil: o primeiro ambulatório de maconha, a primeira Unidade Comunitária, o primeiro Curso de Especialização; o primeiro curso on-line; a primeira Moradia monitorada e por aí vai.

Dos seus 40 anos de carreira acompanhei pouco mais de metade, cerca de 24 anos, mas que revolucionou minha carreira e me fez um admirador do SUS ao qual me dedico até hoje, e um militante das Políticas Públicas que inclua as evidências científicas não apenas os interesses políticos ou ideológicos. É claro que 24 anos de convivência profissional e pessoal presenciei e vivi muitas outras histórias: acertamos mais do que erramos, posso afirmar, com certeza.

O professor Ronaldo Laranjeira trouxe muita contribuição para ciência, sempre com a preocupação de contribuir socialmente aproximando a ciência de quem dela precisava, trazendo–a para o debate público, sem medo ou receio, porque sempre teve a sustentação e o conhecimento das boas práticas. De reconhecimento internacional, o professor Ronaldo merece toda nossa gratidão.

A minha gratidão não se dá apenas pelo evidente incentivo que recebi na minha carreira, mas porque esse incentivo se deu na direção correta: respeito à ciência, à ética, à confiança no potencial do ser humano, ao profundo respeito pela coisa pública e pelo bem comum.

Obrigado professor. Eu, e com certeza posso afirmar sem medo de errar, um sem-número de alunos que tiveram e têm a chance de te ouvir; um sem-número de famílias de pacientes com TUS (Transtorno por Uso de Substância); um sem-número de técnicos e governantes públicos; um sem-número de pacientes; um sem-número de colaboradores da maior empresa de saúde dedicada ao SUS (SPDM); e um sem-número de brasileiros são gratos pelo seu trabalho incessante e hoje nos juntamos para lhe prestar essas merecidas homenagens aos seus 40 anos de profissão. Continue contando conosco, mestre.

Dr. Marco Bessa – Médico psiquiatra

Caro Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira, em seus  40 anos de formado você construiu uma  brilhante trajetória médica, acadêmica e de gestor, que o tornaram um exemplo a ser seguido e uma referência incontornável.

Com sua dedicação incansável, seu entusiasmo e  sua generosidade  você escreve uma importante página na história do tratamento, da pesquisa e das políticas públicas relacionadas às dependências químicas e ao  ensinar inúmeros   profissionais da saúde de todo o Brasil, entre os quais me incluo  e por isso sou muito grato.

Para mim, além de tudo,  Ronaldo você  é uma daquelas raras pessoas que nos fazem lembrar os versos da canção: “amigo é coisa para se guardar debaixo de sete chaves dentro do coração”.

Parabéns!

Grande abraço.

Adriana Moraes – Psicóloga da SPDM
Dr. Ronaldo é um médico exemplar, um magnífico gestor que fez a diferença na minha vida. Quero deixar registrado o meu carinho e admiração pelo Sr.!

Minha eterna gratidão! Parabéns!

Agradeço a participação de todos os especialistas que na correria do dia a dia, reservaram um tempo para participar desta homenagem!

*Adriana Moraes – Psicóloga da SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina) – Especialista em Dependência Química – Colaboradora do site da UNIAD (Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas).


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


    Skip to content