COMUNIDADES TERAPÊUTICAS NO BRASIL: EXPANSÃO, INSTITUCIONALIZAÇÃO E RELEVÂNCIA SOCIAL

22 de abril de 20132min

Fernando Balvedi Damas

RESUMO

Paralelamente à expansão do consumo de drogas de abuso no Brasil, tem se observado um aumento da oferta de serviços que propõem a recuperação do usuário. Historicamente relegadas ao segundo plano, as comunidades terapêuticas atualmente são consideradas ponto importante na atenção ao usuário de crack pelas políticas públicas vigentes.

Este estudo faz uma análise descritiva das comunidades terapêuticas, aprofundando alguns aspectos sociais e de saúde pública, principalmente no que se refere à sua expansão, ao processo de institucionalização dos sujeitos e sua relevância social. O estudo buscou no referencial teórico informações relevantes e de evidência científica sobre as comunidades terapêuticas, assim como as legislações voltadas para estas instituições e para as substâncias entorpecentes. Procedeu-se uma análise situacional do panorama atual das comunidades terapêuticas correlacionando-se a base teórica com dados empíricos obtidos das políticas públicas vigentes e da observação participante do autor em algumas destas instituições. 

acesse: http://esp.saude.sc.gov.br/sistemas/revista/index.php/inicio/article/viewFile/173/201


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com