25 de novembro de 2020

USO DO CRACK: SUAS CONSEQUÊNCIAS NA SAÚDE PÚBLICA

18 de dezembro de 20122min

Aldo Beck Júnior, Elaine Rossi Ribeiro

O crack é uma droga relativamente nova, e já possui atributos significativos para ser um dos males do século XXI. De acordo com Silva (2000, p. 11), “a dependência química que esta substância causa, é responsável por diversos problemas sociais, tais como tráfico de drogas, assaltos, prostituição, superlotação das cadeias e de hospitais”.

Derivado da cocaína, mais barato1 e de fácil acesso, a popularidade alcançada por esta substância psicoativa passou das ruas, para o conhecimento público por meio das notícias vinculadas nos meios de comunicação e recentemente atingiu o status de epidemia como afirma Patrícia Melotto (2009, pg 11): “Recentemente o consumo de crack passou a ser tratado em discursos midiáticos com o título de epidemia, representando a idéia de sua extensão como problemática para diferentes esferas do contexto social”.

pdf 83-380-1-PB_copia.pdf


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter