Intensidade de uso de crack de acordo com a classe econômica de usuários internados na cidade de Porto Alegre/Brasil

26 de janeiro de 20132min

Intensity of crack consumption according the economic level of the admitted users in the city of Porto Alegre/Brazil
Suzana Dias Freire, Paola Lucena dos Santos, Marcela Bortolini, João Feliz Duarte de Moraes, Margareth da Silva Oliveira

O crack surgiu no Brasil em meados de 1988, na periferia de São Paulo1. Somente após a virada do milênio, relatos sobre esse tema e suas consequências foram produzidos em maior
escala². Atualmente, já passados 20 anos do surgimento da droga no Brasil, constata-se a consequência de seus efeitos em diversos segmentos.

O setor governamental de planejamento urbano e segurança tem sofrido alterações em virtude do aumento do uso de crack, assim como têm sido criados pesquisas, programas e políticas voltados para esse público, que ainda carecem dos conhecimentos necessários para a criação de intervenções mais eficazes1. Os dependentes de cocaína e crack, a partir dos anos 1990, passaram a liderar a busca por tratamento em ambulatórios e serviços de internação especializados no atendimento da dependência química³.

pdf Intensidade_de_uso_de_crack_de_acordo.pdf


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter


WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com