20 de setembro de 2020

CRACK NA IMPRENSA: imaginários e modos de representação do jornalismo sobre o surgimento e a explosão da droga em Belo Horizonte (MG, Brasil)

27 de novembro de 20132min

Brazilian Journalism Research – Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/513

Mozahir Salomão Bruck

Resumo

O artigo apresenta resultados de pesquisa sobre a cobertura pelo jornal Estado de Minas, considerado periódico referência da cidade de Belo Horizonte (Minas Gerais, Brasil), do uso e comércio do crack no município. O objetivo de tal levantamento foi tentar compreender que imagens são construídas pelo jornalismo sobre o chamado submundo do crack – a droga, seus atores e as complexas redes de distribuição, usos, combate, prevenção e tratamento. Sabendo que, de um modo ou outro, tais percepções – engendradas pelo discurso jornalístico – têm efetivamente impacto junto à sociedade que consome e faz circular os enunciados presentes nesse discurso.

Palavras-chave

Jornalismo. Crack. Imaginário social. Jornal Estado de Minas

Texto completo:

PDF


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter