18 de setembro de 2020

As Políticas Sobre a Legalização da Maconha: Uma Discussão Baseada em Evidências

10 de setembro de 20182min

WILLIAM FELIPE LUCENA

A maconha é a droga ilícita mais consumida no mundo [8, 15]. No Brasil pesquisa realizada pelo LENAD 2012 – Levantamento Nacional de Álcool e Drogas – com população de 14 aos de idade e acima apontou que 7% da população entrevistada consumiram maconha na vida e 3% relatou consumir maconha frequentemente [15].

O debate sobre legalização sobre o consumo de maconha no Brasil ganha intensidade. Cada vez mais comum observar debates e discussões pouco objetivos e muitas vezes ideológicos acerca das propostas sobre uma política sobre a maconha [11, 21].

Apresentaremos neste trabalho diferentes modelos de políticas sobre a maconha em países que adotaram, em algum momento de sua história, políticas baseadas em evidências e que optaram por ações diferentes frente ao consumo de maconha [2].

Discutimos sobre o modelo da Holanda que regula do consumo de maconha através dos coffee shops [16]; o modelo proibicionista dos Estados Unidos e o convívio com estados que adotaram a política de consumo medicinal de maconha [13]; o modelo do Reino Unido que em certos momentos e impactos na sociedade re-classificou a maconha quanto ao seu potencial de risco [2, 8]; o modelo da Austrália que modificou o sistema de posse e consumo de maconha [10]; e por último o modelo da Suécia que adota uma política severa de restrição ao consumo de maconha com objetivo claro de desestimular o consumo de qualquer substância [8, 14].

MONOGRAFIA_ESPECIALIZACAO-5.pdf (49 downloads)

Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter