28 de setembro de 2020

Influência de depressão e experiências adversas na dependência de drogas ilícitas: um estudo de caso-controle

7 de setembro de 20092min

ABEAD
FERIGOLO, Maristela; STEIN, Airton T.; FUCHS, Flavio D. e BARROS, Helena M. T..
Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2009, vol.31, n.2, pp. 106-113. ISSN 1516-4446.
doi: 10.1590/S1516-44462009000200005.
OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi investigar a associação entre depressão e dependência de drogas ilícitas entre a população Latino-Americana.
MÉTODO: Indivíduos dependentes de drogas ilícitas (n = 137) e controles (n = 274) foram entrevistados pela Entrevista Diagnóstica para Estudos Genéticos para investigar desordem depressiva corrente, ou durante sua vida, e dependência de drogas ilícitas (cocaína, maconha ou inalantes). Análise de regressão logística foi usada para estimar a razão de chances para dependência de drogas levando em conta o diagnóstico de depressão.
RESULTADOS: O diagnóstico de depressão durante sua vida (p = 0,001; OR = 4,9; 95% CI, 1,9-12,7) prediz a dependência de drogas ilícitas. Os dados sociodemográficos sexo masculino (p < 0,001; OR = 36,8; 95% CI, 11,8-114) e situação ocupacional (p = 0,002; OR = 5,0; 95% CI, 1,8-13), e a dependência de álcool (p = 0,01; OR = 3,4; 95% CI, 1,3-8,7) influenciam significativamente a depressão e a dependência de drogas. Ainda, outros fatores importantes que influenciam são ter pais (p = 0,006; OR = 18,9; 95% CI, 2,3-158) ou amigos (p < 0,001; OR = 64,4; 95% CI, 6,5-636) dependentes de drogas ilícitas.
CONCLUSÃO: O delineamento utilizado não possibilitou evidenciar a seqüência de eventos no processo de causalidade. No entanto, a variável depressão ocorreu com maior freqüência após a iniciação do uso de drogas. Sugere-se a realização de estudos para avaliar se a depressão é uma comorbidade da dependência ou uma conseqüência do abuso de drogas ou abstinência.
Palavras-chave : Dependência; Drogas ilícitas; Depressão; Fatores de risco; Estudos de casos e controles.


Sobre a UNIAD

A Unidade de Pesquisa em álcool e Drogas (UNIAD) foi fundada em 1994 pelo Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira e John Dunn, recém-chegados da Inglaterra. A criação contou, na época, com o apoio do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Inicialmente (1994-1996) funcionou dentro do Complexo Hospital São Paulo, com o objetivo de atender funcionários dependentes.



Newsletter